EU ODEIO ESTA CIDADE!

Detesto esta cidade!
Eu odeio esta cidade!
Mas não posso ficar sem ela!
Posso até deixa-la para trás,
Mas sempre volto,
Quando possível.
Em períodos aleatórios e intercalados,
Eu volto à cidade maldita
Onde suas luzes noturnas
Me remetem a um adolescente hermético e invisível,
Que vagava por suas ruas
Espantado com um inimigo, cuja face,
Nunca descobrira, e que
Assolava a sua condição de morador daquela terra.
Curiosamente, ele nunca, nem mesmo hoje,
Descobriu, que aquele tão eficiente inimigo,
Que arruinou todos os seus planos e
Sempre se impôs para destruí-lo,
Era ele mesmo.
Embora, tendo passado tanto tempo,
E ele nunca tendo se descoberto,
Foi percebendo com o tempo,
Que a cidade não era tão maldita assim.
Percebeu ainda, que suas notórias infelicidades
Foram frutos dos momentos
De insanidade que não teve,
Quando escolheu bancar o tipo “correto”.
Conseqüentemente, se descobriu!
Foi assim que, subitamente, ele enlouqueceu,
E hoje, vive feliz!

2 comentários:

G S disse...

Você acha que ele odiava Charleville? Talvez do jeito que você tenha descrito...

ViviaNNe SeNNa disse...

Lembra q te falei do meu amigo de Orkut Carlos? Pois é ele gostou tanto do seu livro q te ADD no seu perfil pessoal né?!
Vi o seu recadinho na pág dele...
Fico feliz por ter contribuído p isso!