MINHA HISTÓRIA

Minha história começa a partir do dia em que me dei conta dela.
Caminhando com colegas e falando bobagens
Era tudo divertido e tranqüilo
Mas não percebi que isso iria passar logo
E quando dei por mim, já estava de forma irracional,
A lutar por um mundo distante, porém recente.

Tudo sempre começa onde termina,
Mas sinto que comecei pelo meio do fim, e
Por isso tenho tentado regredir tanto,
Tentando ser alguém que nunca serei,
Embora já tenha sido.

Minha história não é boa, nem tampouco original,
Mas mesmo assim certas tardes de outubro
Jamais serão substituídas pelos mais ensolarados verões.
Somente aquilo que a gente nunca sabe nos interessa saber.
Lembro de alguns colegas que me acompanhavam na volta da escola
E hoje devem exercer as mais diferentes profissões
Que nem imagino,
Mas gostaria de saber,
De alguns!

Se todos os meus pensamentos fossem traduzidos
Quantos bichos sem cabeça?
Quantas perguntas sem resposta?
E aquele beijo que não dei?O beijo?!
Aquele beijo não dado será até o fim dos meus dias
O meu beijo mais importante
Pois certamente será o único a me acompanhar até a hora derradeira.
Hoje nada que eu faça
Vai recompensar aquilo que não fiz.
Aquilo é único!
O resto se soma!
Mesmo assim, acredito que uma chance hoje,
De fazer aquilo que não fiz antes
É um erro do tipo:
Tipo de época,
Tipo de pessoas,
Pois eu e a garota do beijo não existimos mais.

4 comentários:

Guimarães Silva disse...

Certas tardes de outubro nunca serão substituídas pelos mais ensolarados verões. Acho que do que eu li foi uma das coisas mais originais (baseando no que eu conheço, obviamente) e interessantes. O não-beijo que vai acompanhá-lo até o momento derradeiro também é uma grande imagem. Se é do seu interesse, bom texto, cara! Se tiver a fim de trocar umas idéia me manda seu email depois... Grande abraço.

Cristiano disse...

faleu pelo livro mas não entendi muito bem .
mas ta valendo as partes q entendi achei muito bom
jaé até mais valeu cara
mande mais livros desse q achei muito massa

www.artesplasticas-poesias disse...

Acho interessante tudo o que fala é diz. É uma forma de se comunicar. E você se comunica bem. Você fala muito em depressão, mas penso que o que impediu você de muitas coisas não foi a depressão e sim a timidez, as culpas que nossos pais e a Igreja nos impõe. Nunca é tarde para mudarmos tudo isto.
Se você estiver afim podemos trocar nossos livros. Eu mando um pra você e você um pra mim. É só marcar hora e local para o duelo...

ViviaNNe SeNNa disse...

Estou cada vez mais encantada com seu livro e com seu jeito todo especial de escrever...
Parabéns cara! Cadê as Editoras que não enxergam todo esse seu potencial???